BoA Kwon – a maior estrela da música asiática

Postado por Alan Telles

BoA kwonE hoje o Ouvindo Agora dedica seu espaço à música oriental para falar da maior artista pop de todos os tempos da Ásia. A coreana BoA Kwon. Parece que todo adjetivo bom para qualificá-la é insuficiente. BoA é cantora, dançarina, compositora, produtora e atriz. E é ótima em tudo que faz. Vamos conhecer um pouco da carreira dela.

BoA (Bo Ah Kwon) nasceu em 5 de novembro de 1986 – quase junto comigo – em Guri, uma cidade da Coreia do Sul. Ela foi descoberta em uma audição promovida em 1998 pela SM Entertainment, uma gravadora coreana que pretendia encontrar alguém que viesse a se tornar uma estrela que representasse toda a Ásia pelo mundo e, consequentemente, alavancasse a indústria musical coreana, que andava em baixa na época. BoA chegou a audição acompanhada de seu irmão, que tinha ido tentar uma vaga como dançarino de break. Ela tinha apenas 11 anos. Seu jeito de cantar e dançar deixou os produtores tão impressionados que eles quiseram assinar um contrato com ela na mesma noite. Seus pais se opuseram, ela ainda estudava e a ideia de BoA deixar os estudos para se dedicar a carreira os assustava, mas os irmãos de BoA insistiram até que seus pais concordaram. E foi uma ótima ideia.

BoA ficou dois anos sendo preparada até lançar seu primeiro disco. Ela teve aulas de canto, dança, inglês e japonês, entre outros treinamentos. Ela estava sendo preparada para ganhar o mundo. Em 2000, aos 13 anos, ela lança seu primeiro disco, “ID; Peace B” na Coreia do Sul. O sucesso do disco foi moderado, mas ele ficou no Top 10 da lista coreana. E com certeza serviu para mostrar a que aquela pequena menina tinha vindo. A potência vocal dela, a habilidade de transitar entre graves e agudos. Arranjos muito bem feitos embalam o disco que alterna balanços e baladas. O disco tem uma sonoridade bem inspirada pelas músicas americanas que bombavam na época. Em “??” (Heart-off) é notória a inspiração em “Where My Girls At?”, do grupo americano 702. Em I’m Sorry BoA mostra a potência dos seus graves.

Em 2001 a SM Entertainment se alia a Avex Trax, uma grande gravadora japonesa para iniciar a carreira de BoA no Japão. Ela começa a lançar uma série de singles em japonês, até lançar Listen To My Heart, seu primeiro álbum em japonês. O álbum foi um divisor de águas. Vendeu mais de um milhão de cópias e BoA foi a primeira artista coreana a fazer isso no Japão. E assim ela passou a se dedicar mais a sua carreira japonesa que à coreana.

Depois de Listen To My Heart, veio o álbum Valenti q vendeu 1,25 milhões de cópias. Com ele BoA inicia sua primeira turnê japonesa. E assim vários álbuns se seguiram. O próximo foi Love & Honesty (2004), no qual abro parênteses porque tem uma música nesse álbum que simplesmente adoro, que considero uma das mais perfeitas músicas que já ouvi na vida. “Someday One Day”, com participação de VERBAL, do m-flo. Outras músicas deste mesmo disco que gosto muito são Easy To Be Hard, Song With No Name (Namae No Nai Uta), uma bela e intimista canção.

Aqui Someday One Day, numa versão ao vivo, sem a parte de Verbal

Capa de No.1

Capa de No.1

Vários discos se seguiram. Na Coreia, foram lançados discos até 2005. Dentre os quais quero destacar No. 1 de 2002 que rendeu a BoA o prêmio do MNet Music Awards, uma das premiações mais importantes da Coreia do Sul. Depois vieram Atlantis Princess (2003), My Name (2004) e Girls On Top(2005). Neste último, confira Garden In The Air.  No Japão seguiram-se os álbuns Outgrow (2006),  Made In Twenty(20) (2007), The Face (2008) e Identity (2010). Destaco nestes discos Kimi No Tonari De, Cosmic Night (um eletrônico muito doido), Long Time No See e With U (que tem uma pegada meio latina, muito interessante) que fazem parte de Outgrow. Made In Twenty(20) marca a estreia de BoA como compositora, na música No More Make Me Sick. Atenção para a profundidade de Winter Love, do mesmo disco. Não sei como nunca foi parar numa novela, linda música. Depois do Identity, houve ainda um ótimo single chamado “I See Me”.

 

Capa do álbum em inglês de BoA

Capa do álbum em inglês de BoA

Depois do hiato coreano, vieram Hurricane Venus (2010) e Only One (2012). Hurricane Venus teve ainda um EP que o “completou”, chamado Copy’n'Paste. Nesse meio tempo, em 2009, ainda temos o seu disco em inglês, chamado apenas de BoA, voltado pro mercado americano,  belo álbum que conseguiu juntar bem todos os talentos de BoA. Suas músicas mais famosa são Energetic e Eat You Up, que tem uma coreografia de tirar o fôlego de quem assiste.

Em 2013 foram lançados os singles “Disturbance”, na Coreia e “Tail of Hope”, no Japão, que contem ainda a música “Baby You…”

BoA gravou ainda, com outros 3 artistas japoneses, um comercial pra Samsung, aqui no Brasil inclusive, que rendeu um EP com 3 músicas. Gravou também um fime 3D em Hollywood, chamado Make Your Move 3D, dirigido por Duane Adler, que escreveu um dos filmes da série Step Up. A joalheria coreana Ramee lançou uma série de joias desenhadas pela artista chamada “Ramee by BoA”. BoA também é endossada pela Audio Technica Microphones.

Comercial da Samsung. Note a placa carioca. Belo curta metragem.

BoA continua na ativa, porém já não reina mais sozinha. A K-Pop cresceu muito e foi invadida por uma grande quantidade de girlbands e boybands. Mesmo assim, ela ainda é vista como uma referência para qualquer artista pop na Coreia do Sul, a até mesmo ao longo da Ásia. A carreira de BoA, seu talento, e suas atuações em diversas áreas só deixam a certeza de uma coisa. A SM acertou em cheio na escolha. Para nossa alegria!

Comente!